Posted on

Singular Stone: entrevista exclusiva com Murakata Tohji

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

Para a revista Clube MSX #13, que em breve será lançada, Paulo Vinícius Radtke (PV) analisou o jogo Singular Stone, um RPG japonês de ação lançado em 2020 para MSX2. De autoria de Murakata Tohji, o título, distribuído em disquete, traz a popular vocaloid Hatsune Miku (e seus amigos) para dentro do MSX, em um caso bem interessante de licenciamento de personagem. Durante o desenvolvimento da matéria, PV teve a oportunidade de conversar com o autor. Abaixo está disponível a versão resumida desta entrevista exclusiva.

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

Clube MSX – Você usava MSX nos anos 80?

Murakata Tohji (MT) – Comecei em 85 com um PV-7 da Casio, depois passei para um V-30F da Canon (MSX2). Em 2017, voltei para o MSX e achei outras pessoas no Japão que redescobriram PCs antigos como o MSX.

Clube MSX – Você é programador profissional? Já fez outros jogos?

MT – Não sou profissional, mas mudei de emprego para ter mais tempo para isso. Meu primeiro jogo é o Singular Stone. Inclusive vou fazer outro lote em 2021, eu não esperava que iria vender mais de 250 cópias.

Clube MSX – Quais suas inspirações para fazer jogos?

MT – Não é MSX, mas a Unity e seus assets são estimulantes. Também joguei muito o Wizardry 1 no MSX, mas para o Singular Stone acho que Triton, Romancia e The Maze of Galious foram inspirações. O estágio “OLD RELICS” eu me inspirei no “RELICS” da Bothtec.

Clube MSX – Como foi desenvolver um RPG de ação baseado nos Vocaloids e trabalhar com a Piapro?

MT – Eles me ajudaram bastante e os personagens ficaram jogáveis como eu queria. A Rin, o Len e a Snow Miku têm uma força especial para carregar a história. Como é um jogo não lucrativo, o preço é apenas 1000 Ienes e eu não posso usar um publisher. Mas como não preciso pagar uma licença, é uma boa opção para um projeto pessoal.

Clube MSX – Como foi fazer a música para um jogo com personagens associados a músicas populares? Algum fã mostrou interesse?

MT – Após a premiação de 2017 da Piapro, foquei no Singular Stone. Quando lançado, o número de seguidores de MSX e outros sistemas 8 bits aumentou no Twitter, mas o número de fãs da Hatsune Miku que me seguem não aumentou muito.

Clube MSX – O Singular Stone usa Screen 4. Você pensou em usar Screen 5?

MT – A Screen 5 é apropriada pro MSX, mas eu usei Screen 4 porque eu queria fazer um jogo nesse modo. Tem outros modos, como Screen 3 e 8, que eu não usei muito mas tenho interesse.

Clube MSX – Você está trabalhando no Otome Rekken Ban-Ga-Rua. Parece uma continuação do Yie Ar Kung-Fu 2.

MT – É uma homenagem ao Yie Ar Kung-Fu 2 que eu quero lançar no fim de 2022. É um MegaROM de 4 Mbits para MSX2 e som SCC. Eu gostaria de ter um modo aventura estilo Metroidvania, além de um modo combate. A palavra Ban-Ga-Rua é um anagrama dos fonemas japoneses para Yie Ar Kung-Fu (I- Aru Kan Fu-).

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

FICHA TÉCNICA:

Título: Singular Stone
Sistema: MSX2
Ano: 2020
Gênero: RPG de ação
Autor: Murakata Tohji

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

Entrevista com Murakata Tohji (Singular Stone) | Revista Clube MSX

EM TEMPO:

• Compre Singular Stone em disquete
Garanta a mais nova edição da revista Clube MSX
• Inscreva-se no canal da Clube MSX no YouTube
• Usa Telegram? Inscreva-se em nosso canal de transmissão